Quantidade de Páginas visitadas

Orgãos Colegiados da Escola




O Conselho Escolar é um órgão colegiado, representativo da comunidade escolar, de natureza deliberativa, consultiva, avaliativa e fiscalizadora, sobre a organização e realização do trabalho pedagógico e administrativo da instituição escolar em conformidade com as políticas e diretrizes educacionais da SEED, observando a Constituição, a LDB, o ECA, o PPP e o Regimento Escolar.

O Conselho Escolar, de acordo com o princípio da representatividade e proporcionalidade, é constituído pelos seguintes conselheiros: 


Presidente / Diretor - Roberto Alexandre Magnoni
Conselheiro/ Equipe Pedagógica - Maria do Carmo de J.B.T.Rampim
Suplente - Eneide Lane Crispim Furlan
Conselheiro/ Docente - Maria Catarina Fernandes Rossi
Suplente - Ivanir Brognoli Coatti
Conselheiro/ Administrativo - Vanda Maria de Colla dos Santos
Suplente - Ivete Meith de Souza
Conselheiro/ Serviços Gerais - Reniel dos Passos
Suplente - Marlene Lourdes Dias da Silva
Conselheiro/ Aluno - C.F.S.M
Suplente - J.V.G.W.
Conselheiro/ Pais de Alunos - Noemia Pereira
Suplente - Juraci
Conselheiro/ Grêmio Estudantil - A.M.G.
Suplente - M.G.M.S.
Conselheiro/ Comunidade - João Barbosa de Lima
Conselheiro/ Comunidade - Viviane Gorete Sônego
Suplente - Paulo Sérgio Costa
Suplente - Tatyana Cappellesso Miike








A APMF, é um órgão de representação dos pais e profissionais do Estabelecimento de Ensino, não tendo caráter político partidário, religioso, racial, sem fins lucrativos e sem remuneração

Quem faz parte

A Associação de Pais, Mestres e Funcionários tem por objetivo promover o entrosamento entre pais, alunos, professores e funcionários e toda a comunidade, através de atividades socioeducativas e culturais e desportivas, gerir e administrar os recursos financeiros próprios e os que lhes forem repassados através de convênios, de acordo com as prioridades estabelecidas em reunião conjunta com o Conselho Escolar; Colaborar com a manutenção e conservação do prédio escolar e suas instalações, conscientizando sempre a comunidade sobre a importância desta ação..
A APMF pode ser considerada uma ONG, para isto é necessário que seja registrado no Conselho municipal dos direitos da criança e do adolescente, e assim para receber recursos para desenvolver projetos que venham de encontro com os ensinos da comunidade.





Conselho de Classe

O Conselho de Classe é o órgão colegiado de natureza consultiva e deliberativa em assuntos didático-pedagógico, fundamentado no Projeto Político-Pedagógico da Escola, e no regimento escolar, com a responsabilidade de analisar as ações educacionais, indicando alternativas que busquem garantir a efetivação do processo ensino e aprendizagem.

Conselho de Classe constitui-se em um espaço de reflexão pedagógica, onde todos os sujeitos do processo educativo, de forma coletiva, discutem alternativas e propõe ações educativas eficazes que possam vir a sanar necessidades/dificuldades apontadas no processo ensino e aprendizagem.

O Conselho de Classe é formado pelo Diretor(a) e/ou Diretor(a) Auxiliar, pelo(s) Professor(es) Pedagogo(s), por todos os professores e os alunos os alunos representantes que atuam numa mesma turma e/ou série, por meio de:

I – Pré-Conselho de Classe com toda a turma em sala de aula, sob a coordenação do professor representante de turma e/ou pelo(s) pedagogo(s);

II – Conselho de Classe Integrado, com a participação da equipe de direção, do(s) professor(es), do corpo docente, da representação de alunos e pais de alunos por turma e/ou série.

É responsabilidade da direção presidir o Conselho de Classe e cabe ao pedagogo organizar as informações e dados coletados a serem estudados no Conselho de Classe.







Os Grêmios Estudantis compõem uma das mais duradouras tradições da nossa juventude. Pode-se afirmar que no Brasil, com o surgimento dos grandes Estabelecimentos de Ensino secundário, nasceram também os Grêmios Estudantis, que cumpriram sempre um importante papel na formação e no desenvolvimento educacional, cultural e esportivo da nossa juventude, organizando debates, apresentações teatrais, festivais de música, torneios esportivos e outras festividades. As atividades dos Grêmios Estudantis representam para muitos jovens os primeiros passos na vida social, cultural e política. Assim, os Grêmios contribuem, decisivamente, para a formação e o enriquecimento educacional de grande parcela da nossa juventude.


Mensagem do Secretário de Estado da Educação

Mauricio Requião



Caros Estudantes,
Diretores e Professores,


Dentro de uma escola surgem, quase que naturalmente, diferentes grupos que se articulam informalmente em torno das mais variadas razões e motivos. A organização dos grêmios estudantis é um deles e favorece o relacionamento e a convivência entre os nossos jovens. Por serem institucionalizados, podem representar melhor a rica experiência que é a busca coletiva dos anseios, desejos e aspirações dos estudantes.
O Grêmio deve ser resultado da vontade dos próprios alunos. São eles que devem reconhecer a sua importância e que devem definir o seu perfil. Os grêmios, organizados dessa forma, exercem papel importante na formação do aluno, devendo ter uma dimensão social, cultural e também política.
Muitas vezes, os grêmios podem se tornar profundamente “incômodos”, como no período da ditadura militar, em que foram colocados à margem da lei pela defesa dos princípios democráticos e acabaram perdendo muito do seu espaço. Ou mesmo agora, quando muitas direções escolares agem contra a formação dos grêmios, seja por temerem a sua força reivindicatória, seja por não conseguirem compreender a sua importância.
Mas esta é uma visão precipitada. O educador precisa ter consciência de que o
aluno se expressa, muitas vezes, pela contestação. O bom educador enriquece, ganha com isso, enxerga mais e melhor a realidade dos alunos.
Queremos que o aluno tenha voz e vez. Para isso, nos espelhamos na preocupação que o educador Paulo Freire teve ao tratar o aluno como agente e não como mero paciente. Queremos um aluno que seja, que haja, que viva.
Sempre gostei muito da participação, da luta coletiva. Aprendi muito no Grêmio.
Muitas vezes, ele foi minha escola dentro da escola. Os grêmios da atualidade não devem ser uma tentativa de imitar os grêmios do passado. Temos de encontrar um novo caminho e acredito que estejamos dando apenas o primeiro passo.

Mauricio Requião
Secretário de Estado da Educação






   


Equipe Pedagógica

Manhã: 
Eneide Lane Crispim
Sandra Mara de Moraes




Tarde:
Maria do Carmo de J.B. Tavares Rampim



Noite:
Luiz Carlos Ferreira






Equipe de Apoio




Merendeiras:

Marlene Lourdes Dias da Silva

Maria José Manhoni
Carmem Lucia dos Santos

Zeladoras:
Claudia Catto Pizeti
Maria Anelice de Lima
Fátima Alberto

Inspetores de Alunos
Gilberto Martins Pereira
Reniel dos Passos























Validador

CSS válido!

Secretaria de Estado da Educação do Paraná
Av. Água Verde, 2140 - Água Verde - CEP 80240-900 Curitiba-PR - Fone: (41) 3340-1500
Desenvolvido pela Celepar - Acesso Restrito